Por que só o Québec se comunica em francês?

girls 3764703 1280

O Canadá é uma nação bilíngue dividida em francófonos e anglófonos. O curioso é que esta divisão linguística não se espalha ao longo do território canadense, já que 80% dos francófonos do país concentram-se na Província do Québec, e os restantes estão localizados em Ontario, Nouveau-Brunswick, Nunavut e Territórios do Nordeste. Mas por que a maior porcentagem se concentra no Québec? 

Questão histórica

A resposta para esta questão está há mais de 500 anos atrás quando o explorador francês Jacques Cartier viaja para a América do Norte em busca de ouro e de especiarias, ao invés disso o explorador acaba descobrindo o Rio São Lourenço que se tornou o principal acesso ao interior do Canadá. Cartier tomou posse dessa terra em nome de Francisco I, rei da França, e logo após isso faz um percurso rumo a aldeia de Hochelaga, terra esta que hoje é conhecida como a cidade de Montreal na província do Québec. Cartier foi o primeiro homem a pisar em solo canadense  no ano de 1534. 

Anos depois, em 1608 Samuel de Champlain, explorador francês, fundou a cidade do Québec. Naquela época Québec City era apenas uma vilazinha composta por algumas casinhas simples projetadas para abrigar os 28 tripulantes que seguiam viagem com Champlain. 20 deles vieram a falecer durante o inverno pelo frio intenso. Neste mesmo ano o território descoberto pelos franceses passou a ficar conhecido como Nova França, hoje a província do Québec. 

Invasão britânica

Até então o Canadá era uma região localizada apenas no que hoje é o Québec, e de língua francesa predominante. No entanto, no ano de 1759 os franceses haviam se rendido depois de dois meses em que a marinha britânica bombardeou a região, dando posse ao Capitão John Knox. 

Então, em 13 de setembro deste ano, a infantaria britânica derrotou as tropas francesas na Batalha das Planícies de Abraham, fazendo dos 15.000 habitantes da província sujeitos da coroa da Inglaterra. Um ano depois, Montreal também havia caído em mãos inglesas. 

Agora o Canadá havia sido dominado pelos britânicos, forçando os francocandenses a abrirem mão de suas raízes, sendo tratados como um povo inferior,  sem direito a crédito para financiamento de imóveis e nem acesso a cargos públicos de alto escalão.

Unificação

Em 1840 o governo britânico assinou o Ato de União, a “Lei de Reunion”, legislada entre as províncias de Upper Canada e os de baixo Canadá, lei esta que oferecia a assimilação dos franco-canadenses. Sendo assim, o inglês era a única língua oficial. 

Reconstruindo as raízes

Foi então que na década de 60 o governo quebequense resolveu reconstruir suas próprias raízes desenvolvendo a província por conta própria aprimorando setores energéticos até a indústria  de alimentos, transporte, bancário, imobiliário e por aí vai. Este episódio ficou conhecido como revolução tranquila, já que não houve algum tipo de conflito sangrento, mas sim uma verdadeira revolução nos sistemas políticos, econômicos, tecnológicos, culturais e sociais. 

Este processo revolucionário teve momentos marcantes como a famosa Expo 67 (Exposição mundial de 1967), e os Jogos Olímpicos de Montreal em 1976, inaugurando o Estádio Olímpico de Montreal. 

IMAGENS 

Somente no ano de 1977 a Assembléia Nacional do Quebec aprovou a “carta de língua francesa”, proposta pelo governo do separatista René Lévesque, que fez do francês a língua oficial de trabalho, educação, comércio e negócios. Lembrando que a língua francesa  já era falada antes, mas com esse documento as raízes linguísticas da província não correm mais o risco de extinção. 

‘Eu me lembro’

Após anos de conflitos entre britânicos e franceses, e a busca da identidade roubada, o Québec hoje tem uma frase estampada em todas as placas de carro, a que simboliza toda a história da província “Je me souviens” (Eu me lembro). A frase também diz respeito a todo o orgulho da nação Québec. 

Em 2006 o parlamento canadense, deu o título de Nação ao Québec. Sendo assim, as duas sociedades, raízes britânicas e francesas, podem compartilhar suas histórias, línguas e aspectos culturais.

Por isso, hoje em dia, o Québec possui seus próprios feriados históricos chamados de nacionais, como o Feriado Nacional do Quebec. A história é muito presente no legado da província, e tudo o que a região é hoje em dia, é sem dúvida com base nos acontecimentos de anos atrás. 

Gostou da história do Québec? Esperamos que sim 🙂 Está curioso (a) para mergulhar em tanta história? Então entre em contato com a ICE, que a gente te leva até lá! 

Au revoir 🙂

Fontes:

https://escola.britannica.com.br/levels/fundamental/article/Jacques-Cartier/480915

https://www.rumoaquebec.com.br/2016/11/13/historia-do-quebec/